Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2012

Segundo a CDRM, Paraíba é rica em bens de origem mineral.

De acordo com a Companhia de Desenvolvimento de Recursos Minerais da Paraíba (CDRM), graças à geologia diversificada, envolvendo rochas que vão desde o período pré-cambriano (2.5 bilhões de anos) até os dias atuais, e à disponibilidade de ambientes geologicamente propícios, o Estado da Paraíba é considerado muito rico em bens de origem mineral. Conforme dados da publicação “Geologia e recursos minerais do Estado da Paraíba: texto explicativo dos mapas geológicos e de recursos minerais do Estado da Paraíba”, editado pelo Ministério de Minas e Energia, em conjunto com a Secretaria de Minas e Metalurgia e o CPRM-Serviço Geológico do Brasil, foram cadastradas até hoje 2.008 ocorrências minerais distribuídas no território paraibano, englobando minerais metálicos, não-metálicos e energéticos. Dados divulgados pelo Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) mostram que,  dos R$ 270,8 milhões arrecadados com a produção mineral da Paraíba no ano de 2007, por exemplo, 75% referiram-se aos …

Picuí- PB: Antonio de Pádua Sobrinho fala dos impactos ambientais causados pela mineração na região

A extração mineral sem planejamento tem causado sérios impactos ambientais às áreas exploradas. Os garimpeiros, pelo fato de sua maioria trabalharem na total clandestinidade, pelo baixo nível de escolaridade e por nunca terem se organizado em cooperativas, desconhecem completamente os prejuízos causados  pela lavra mineral predatória no presente e no futuro.
"É preocupante o grau de degradação ambiental na região , decorrentes da atividade mineral. Os efeitos são grotescos, visíveis à distância, por qualquer observador. A vegetação nativa está gradativamente sendo destruída,  o solo é removido por decapagem, os topos dos morros e serras  são reduzidos pela retirada do minério, restando  imensas crateras com aspecto de paisagem lunar. Estéril e rejeito da mineração são descartados em áreas adjacentes aos garimpos sem nenhuma seleção de material, e nenhum cuidado para que em um futuro próximo venham a ser carreados pelas enchurradas encosta abaixo, provocando o assoreamento de córr…

Picuí - PB: Antonio de Pádua Sobrinho faz um breve histórico do extrativismo mineral na Região

A atividade mineral nos garimpos da Província Pegmatítica do Seridó  ainda segue basicamente os preceitos dos antepassados, apesar de constituir alternativa de trabalho regional, desempenhando importante papel na fixação da população na área durante a seca, consistindo em grande forma de representatividade econômica na renda regional. 
Segundo comunicação verbal de antigos garimpeiros da região , durante a segunda guerra mundial houve um incremento na produção mineral , graças a decisão do governo americano em enviar geólogos e engenheiros com o objetivo de pesquisar e explorar  minérios na região, dentre eles, Tântalo, Nióbio e Tungstênio, para o fabrico de equipamentos bélicos. Diante da necessidade na obtenção de matéria prima em abundância, contaram com a larga experiência dos garimpeiros destes municípios, recrutando-os e treinando-os no exercício da atividade de pesquisa e exploração. 
O tempo passou, novos garimpos foram descobertos, porém, não ocorreu avanço tecnológico. O extra…

Diretora Geral do IFPB Campus Picuí Verônica Lacerda Arnaud e a Chefe de Gabinete Lígia Cabral participam do IV Fórum de Comunicação do Governo Federal no Nordeste

PICUÍ PB: Exposição exibe a vida no garimpo

Picuí- PB: Estudantes do curso de Agroecologia IFPB discutem sobre a Construção da Usina Belo Monte

“Sou aluna do curso superior de Agroecologia do Instituto Federal da Paraíba Campus Picuí e, nesta quarta-feira, 18 de abril na aula de Legislação Agrária e Ambiental, ministrada pela professora Débora Karenine, foram debatidos os conflitos ambientais provenientes da construção da usina de Belo Monte. Em seguida, a professora nos apresentou dois vídeos um mostrando os argumentos favoráveis à construção da usina - Tempestade em copo d’água - e outro com argumentos contrários, - Movimento a gota d’água-.  Ao final da aula a professora sugeriu que fosse feita uma resenha crítica à respeito da exposição da temática e dos filmes vistos em sala de aula. No sábado, ao realizar minha atividade ,  resolvi postá-la no mural da minha rede social (Facebook) expondo assim ao público minha opinião sobre o assunto abordado em sala de aula, e, para minha surpresa, alunos, professores e demais profissionais, começaram a colocar seu ponto de vista, suas sugestões, além de relatos de pessoas que já mora…

Mina de ouro em Currais Novos será uma das maiores do Brasil

Picuí PB: Gestor da COOPICUÍ- Mineração Participará da feira de tecnologia de Gemas e Design para o Setor Joalheiro em São Paulo.